sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Equador

A tentativa recente de golpe de estado no Equador não constitui, de modo algum, alguma surpresa. Apesar do repentismo que o acto protagonizou. Esta dedução, fazendo uma leitura correcta do contexto internacional, é óbvia. O imperialismo americano está a abrandar no médio oriente, uma vez que os custos da guerra no Iraque e no Afeganistão estão a tornar-se insuportáveis, quer dizer, não dá para esconder que se chegou à conclusão que não compensou. 
Começam então a reinvestir na América Latina, como foi o caso, ainda recente, das Honduras, que se quer condenar ao esquecimento. Mas a História é fecunda nestes exemplos de "democraticidade". O boicote a Cuba, o Chile ou as dificuldades impostas à Venezuela, por exemplo.

1 comentário:

joão l.henrique disse...

É assim o negócio da guerra, feito pelo imperialismo dos EUA.

Um abraço.