sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Olimpicamente falando...


Excelente cartoon de Ferreira dos Santos, cujo talento pode ser apreciado aqui, aqui e aqui.
Amanhã, em Lisboa, Marcha Liberdade e Democracia. Contra a violação da Liberdade e a degradação do regime democrático.
Porque isto não é uma fatalidade, porque isto tem de mudar.

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

A ilusão pariu um rato...



foto: António Marques

Tiago Miguéis (Remo)


Quando for grande quer ser médico. Mas como ainda é cedo, nos entretantos, vai estudando e remando. O que tem feito satisfatoriamente. Em 2006, com 12 anos, foi campeão nacional de remo indoor, na categoria de infantis.

sábado, 23 de fevereiro de 2008

Zeca, o professor solidário


“Não existe só o poder, a classe dominante, com o seu comportamento historicamente determinável. Existe também o consentimento de indivíduos que têm algumas responsabilidades intelectuais, ou políticas, com a atitude do deixar andar, que no fundo é uma atitude cúmplice. Eu tentei exprimir isso numa cantiga chamada “Os eunucos”. Isto é um país de eunucos”.

(de uma entrevista de Júlio Pinto, Jornal de Notícias, de 25 de Abril de 1985)

Não sei o que Zeca pensaria dos seus colegas professores que foram ao beija-mão ao engenheiro, enquanto outros se manifestavam, na rua, contra políticas arrepiantes. Conhecendo o que a casa gasta, aqueles, certamente revendo-se n’ “Os Eunucos”, serão os primeiros a terem uma avaliação positiva, pois, os lambe-botas, os apaniguados, os que têm cartão, enfim, os boys, estão garantidos.
Zeca seria como eu. Não pensaria nada porque aquilo lhe provocaria vómitos. E, enjoado, não estaria em condições para pensar. Porque para Zeca, como para mim, o que é nojento, é repugnante.



Zeca, o poeta da Liberdade



- E quem são hoje os vampiros? Os mesmos de antes do 25 de Abril?
O vampirismo é o mesmo. Mas a família dos vampiros está mais distribuída, a fronteira entre os vampiros e aqueles que o não são é mais difícil de estabelecer.
Se quiseres, por exemplo, detectar a corrupção inerente ao vampirismo, com dificuldade distingues o trigo do joio. A corrupção está largamente difundida, até porque o exemplo vem de cima.


(de uma entrevista de Júlio Pinto, Jornal de Notícias, de 25 de Abril de 1985)

Não sei em que ano foi escrito "Os Vampiros". Muito possivelmente na década de 60, mas a opinião de Zeca em 1985, há 23 anos, ainda está, hoje, perfeitamente actual. O país não mudou muito. Nadinha mesmo.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Talhadas Guerra (Halterofilismo)

Foto: Arquivo GCF

Foi o sucessor de José Fernandes como campeão nacional. Mas, mais tecnicista que este, segundo o próprio Fernandes, foi mais longe. Talhadas em 1957, no seu primeiro campeonato, foi segundo classificado, e nos dois anos seguintes foi campeão e recordista nacional.
Até 1969 arrecadou mais 7 títulos, dos quais o de 1966 foi absoluto. Foi pré-seleccionado para os Jogos Olímpicos do México, feito esse que não se chegou a concretizar.

domingo, 17 de fevereiro de 2008

Jornais de referência (croniqueta de fim de semana)

O caso passa-se no Kosovo, há já uns anitos. O enviado especial de um grande jornal português, vê, observa, fala, pergunta, investiga, isto é, trabalha. Envia as reportagens para a redacção. Recebe um telefonema do editor, que o texto está um bocado contra a Nato, que não pode ser assim, coisa e tal e tal e coisa. Ele responde que escreveu o que conseguiu obter. “Ah, mas temos que alterar algumas coisas”. Ele terá dito para alterarem o que quiserem, mas que tirassem o seu nome da reportagem.
Outro caso, este com dois dias. Num outro grande jornal português, em manchete, consegue-se dizer duas calinadas em 6 palavras: “Congresso de um sindicato em crise”. Toda a gente sabe que a central sindical não é um sindicato. Não tenho a veleidade de pensar que quem escreveu isso não sabia, seria um atentado à inteligência de quem fez a manchete. Logo, ou foi por má fé ou para agradar ao patrão (o que vai dar ao mesmo), porque isto de comunicação social está toda em boas mãos, e a informação é muito bem manipulada. Também pode ter sido por ignorância, embora eu acredite menos nesta hipótese.

Num país onde o analfabetismo ainda é monstruoso a comunicação social deveria ter responsabilidades acrescidas. Acontece o contrário. Outra coisa arrepiante: nos cursos de comunicação social, de jornalismo, são estes jornais apresentados como exemplos, imagino eu, que não tenho curso algum de jornalismo. Quer dizer, aprende-se logo à nascença a mentir.
Foi José Martins, director do saudoso semanário figueirense “Barca Nova”, quem me iniciou nesta coisa de jornais. No meio dos seus ensinamentos, depois de dar vários exemplos de coisas parecidas com os casos que citei, disse uma frase que me ficou na memória e que sempre me guiou na minha actividade jornalística: “Não há nada mais horrível que um jornalista mentir”.
Não faço a mínima ideia se o jornal em questão vai pedir desculpas à CGTP-IN, mas recordo um caso passado há já uns anos com um jornal francês. O “Le Monde” noticiou a morte por suicidio de Mónica Vitti. A actriz, ela própria, negou e disse que estava vivinha da silva. Então o jornal enviou-lhe cem rosas vermelhas com a explicação da cor. Dizia o bilhete: “Cem rosas vermelhas de vergonha”.
No primeiro caso, ainda que com anos de atraso, a minha solidariedade, respeito e admiração para o jornalista.
No segundo, não acredito que a CGTP-IN receba algum pedido de desculpas. Porque já não há vergonha. Infelizmente.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Alguém entende isto?


Uma sondagem diz que o líder partidário mais impopular é o primeiro ministro José Sócrates. Compreende-se, analisando o estado a que isto chegou.
56,8% dos inquiridos afirma que o executivo está a governar pior do que esperavam e não acreditam que a remodelação (ou cosmética) mude as políticas. Inclusivamente o próprio eleitorado do PS mostra-se desiludido.
Agora, incompreensível mesmo é que se houvesse eleições o partido neo-liberal que está no governo, auto-denominado Partido Socialista, venceria com perto de 36%.
Alguém consegue uma explicação plausível? Eu não. Pronto, acredito, não é o Scolari que é burro…

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

A sondagem


Os nomes propostos nesta sondagem, que vedes ao cimo da barra lateral, poderão ser discutíveis. Porque uma escolha deste tipo seria sempre subjectiva. Quem faz uma escolha obedece, ainda que inconscientemente, a muitos pressupostos, seja uma visão muito própria, seja um conhecimento do desporto figueirense do qual não há a pretensão de ser exaustivo, nem coisa que se pareça. E uma votação deste tipo nunca define seja o que for definitivamente.

De toda a maneira parece-me que são os atletas com melhor
curriculum, ainda que se possa referir alguma injustiça na ausência de um ou outro.
Por exemplo, nas fotos do treino da secção de kickboxing, poderemos ver um campeão mundial, uma vice-campeã europeia, um vice-campeão europeu e mundial. Noutras modalidades, Halterofilismo ou Natação, encontramos vários atletas com folhas de serviços exemplares.
Escolhemos estes e corremos o risco. Como diria Brel: “é preferível errar do que estar calado”.

Rafael Afonso de Sousa (Tiro)


Foto: Junta de Freguesia de Quiaios (com os devidos agradecimentos)

Natural de Quiaios, foi o primeiro atleta figueirense a participar nos Jogos Olímpicos. Aconteceu em Los Angeles, no ano de 1932.
Foi campeão nacional por sete ocasiões, e, como militar venceu o Pentatlo Moderno, uma prova que incluía pedestrianismo, natação, tiro, esgrima e hipismo. Competia com pistola de guerra a 25 metros e espingarda a 300 metros, e a nível federativo representou o Sporting Clube de Portugal.
Não se ficou só pelo seu desporto de eleição. Sócio do Quiaios Clube e do GIR Quiaense também desenvolveu o atletismo na região.
Nos J. O. obteve o 5º lugar em Tiro de Pistola e o 22º no Pentatlo Moderno.
No ano em que participou nas olimpíadas a CMFF decidiu homenageá-lo e atribuiu o seu nome à Carreira de Tiro.
Que vai dar lugar à nova piscina do GCF. Agora, faz todo o sentido que, vá para onde for - a carreira de tiro -, porque tem de ir para algum sítio, conserve o nome do atleta.
E, o sítio ideal, com condições excelentes, nem de propósito: a terra natal de Rafael de Sousa.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Shell 8+ (Remo)


Talvez devido à espectacularidade e à exigência de um forte trabalho colectivo, o Shell 8 é considerada a prova rainha do Remo.
Na época 2003/04, o Ginásio tornou-se a única equipa figueirense, até à data, a sagrar-se campeã nacional absoluta.
Par a História, aqui se registam os nove “heróis”. Da esquerda para a direita: João Viegas, José Jacinto, Augusto Alberto (timoneiro), Rui Ligeiro, Ricardo Santos, Ricardo Paula, Tiago Oliveira, Luís Gaspar e Nuno Vasco.
Para quando outra gracinha?

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

A Publicidade é uma arte

Quando excepcionalmente bem feita a publicidade pode-nos surpreender. É o caso deste filme.
Numa associação poderemos concluir que nos faz lembrar alguém bem perto de nós. Numa comparação, tornar-se-à evidente que este filme nunca se poderia adaptar à comunicação social portuguesa. Sobretudo pela última frase. Bem, trata-se de publicidade a um órgão de comunicação social.
Mas veja. E reveja, pois vale a pena. Isto é Arte. Depois faça as associações e as comparações que o seu espírito lhe ditar.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Estas engenheirices do Sr. Engenheiro...


... até dariam para rir, se não fossem tristes demais.
Não fossem pessoas deste calibre e desta competência as que nos governam...
Só visto,
aqui.

4 de Fevereiro, força Palancas




A selecção de futebol de Angola defronta hoje à tarde a sua congénere do Egipto, em jogo a contar para os quartos de final da CAN. Cumprido o objectivo de passar a primeira fase, o que aconteceu pela primeira vez numa grande competição, espera-se novamente um bom comportamento dos “Palancas Negras”.
E porque é que a selecção adoptou o nome de “Palancas Negras”?
A palanca negra ou gigante é considerado por especialistas o mais belo antílope do mundo. Só existe em território angolano, sendo por isso considerado um símbolo do país.
Descoberto em 1909, está incluído desde 1933 em listas internacionais de espécies sob protecção absoluta, estabelecidas pela “Convenção para a Protecção da Fauna e da Flora Africanas”. Pela sua raridade e por características únicas, como os chifres, que atingem 1,60 m e são recurvados para trás.
De tão raro chegou-se a temer pela sua extinção, devido sobretudo à guerra, cujos palcos principais aconteceram mesmo no seu habitat, no planalto central. Uma estimativa recente aponta para a existência de 700 exemplares.
São por isso urgentes medidas para a sua protecção.
Logo à tarde, a partir das 17h00 de Lisboa os “Faraós” que tenham isso em conta.

sábado, 2 de fevereiro de 2008

Isto sim, é uma Haka

Quem ouviu "Os lobos" interpretarem o Hino Nacional não pôde deixar de ficar impressionado com a força, o sentimento colocados.
Mas esta é a melhor, a maior, a única, a verdadeira haka à portuguesa. Clicai e vêde. E admirai-vos. Estou em crer que até o meu amigo Carlos Freitas, antigo praticante da modalidade, concordará.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

João Carlos Costa (Tiro)


Títulos nacionais contabiliza 39, aos quais se juntam 22 records, distribuídos pelas várias disciplinas da modalidade, ainda que seja especialista em Pistola de Ar Comprimido a 10 metros e em Pistola a 50 metros, 2 vitórias em etapas da Taça do Mundo, um 7º lugar nos Jogos Olímpicos de Sidney. Credenciais suficientes para tornar legítimas as aspirações a uma medalha em Pequim.
Mas Costa, que em 2007 foi 4º do ranking mundial de Pistola a 50 metros, mostra-se cauteloso, é uma disciplina de muita precisão, dependente de muitas circunstâncias, e relembra que lá vão estar as maiores figuras mundiais da modalidade.
O atleta da Naval que nasceu há 43 anos teve a sua primeira internacionalização em 1996, tendo vencido já inúmeros torneios internacionais. Em Novembro último integrou a equipa navalista que se sagrou campeã nacional no Jamor.