terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Um 2014 o melhor possível, já que desejar um bom ano seria estultícia, com os governantes indigentes por quem insistimos, estranhamente, digo eu, a ser (des)governados. Bora, aquecer pró rabaião!

2 comentários:

Antonio Agostinho disse...

O ano possível também para ti e os teus.
Abraço

João Henrique disse...

Um 2014 cheio de felicidades com as pequenas ou grandes vitórias de cada um e de todos na libertação das amarras que nos colocaram.
A luta vai continuar!